NR 12 – Instrumento de prevenção de acidentes com máquinas e equipamentos.
Ter, 13 de Janeiro de 2015 16:02

 Mesmo em vigor, indústrias pedem mais tempo para cumprir a norma

Janeiro de 2015

 As máquinas do parque industrial do País ainda não estão em dia com a última versão da NR12. A revisão da norma, que trata da segurança no trabalho em máquinas e equipamentos, foi necessária por causa das novas tecnologias incorporadas aos maquinários. Logicamente, por fazer parte da legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), toda a revisão contou com a participação de membros da Comissão Tripartite Paritária (governo, empregados e empregadores). E, em dezembro de 2012, a norma entrou em vigor.


Mas, em fevereiro de 2014, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) encaminhou ao MTE documento reiterando a necessidade de revisão do texto atual da norma, devido à grande dificuldade de as empresas se adequarem às suas exigências. Já estamos em 2015 e nada foi resolvido. Segundo a CNI, a alta complexidade do texto, os prazos insuficientes para adequação e a obrigatoriedade de enquadramento de máquinas usadas às novas regras são alguns fatores que têm criado dificuldades para a indústria atender às exigências da NR 12.


A CNI encaminhou proposta para revisão da NR 12, solicitando que seja definida uma linha de corte temporal, para que as novas exigências da norma sejam aplicáveis somente aos equipamentos novos. Alega também que haja obrigações diferentes para fabricantes das máquinas e usuários, na interação do trabalhador com a máquina. Além disso, que haja critérios diferenciados para empresas de pequeno porte, que têm dificuldades financeiras para arcarem com os custos de adequação. E, ainda, que a interdição de máquinas e equipamentos só ocorra mediante grave e iminente risco devidamente comprovado por laudo técnico e ato do superintendente regional do trabalho.


Segundo Alexandre Furlan, presidente do Conselho das Relações de Trabalho da CNI, as empresas têm enfrentado insegurança jurídica e técnica em relação à adequação de suas máquinas em operação e também em relação aos equipamentos que venham a comprar. “Essa insegurança decorre do fato de não haver, no País, uma certificação que ateste a conformidade da máquina ou do equipamento com as novas exigências da NR 12. Na prática, significa estar a critério do auditor fiscal do trabalho, ao seu arbítrio aferir a conformidade ou não do equipamento à legislação”, diz.


Além disso, é preciso capacitar os profissionais de engenharia de segurança com os novos sistemas de proteção de máquinas. Furlan afirma que as entidades de classe do setor industrial vêm oferecendo capacitações constantes às empresas em relação à NR 12. “No entanto, tem-se notado que, por parte do Ministério do Trabalho, não tem sido usual que a fiscalização adote caráter de orientação, o que contribuiria muito para a disseminação do conhecimento acerca das exigências da NR 12”, reclama.


Em relação à norma atual, pela perspectiva do empresariado, a principal dificuldade é entender o que se deve aplicar às máquinas fabricadas antes da vigência da NR 12, com tecnologias desenvolvidas e incorporadas nas máquinas novas. Para ele, na prática, pode ser técnica e financeiramente inviável agregar às máquinas e equipamentos em operação parte ou toda inovação exigida pela nova NR 12. “Essa regra desrespeita o momento construtivo, pois os equipamentos estavam em conformidade com a legislação vigente à data de sua fabricação”, argumenta.


Furlan alega que praticamente todos os segmentos industriais têm encontrado dificuldades na adequação de seu parque fabril. No entanto, as empresas de micro ou pequeno porte experimentam um desafio adicional em razão do elevado custo para se adaptarem às mudanças, bem como pela falta de profissional especializado em suas empresas.


“Defendemos o estrito respeito aos padrões internacionais de segurança de máquinas e equipamentos, pois não interessa à indústria, por razões óbvias, que o ambiente de trabalho do setor seja cenário de acidentes do trabalho”, observa.


Por Emily Sobral - http://www.relacoesdotrabalho.com.br/

 
Parceria AMPLAST e Plástico Virtual
Qui, 08 de Janeiro de 2015 16:29

plastico virtual

A Amplast possui parceria com a Plástico Virtual www.plasticovirtual.com.br , especializada na divulgação de empresas para o mercado do Plástico, divulgue sua marca, produto ou serviço para milhares de empresas, receba 20% de desconto no Cadastro Patrocinado e amplie seu potencial de vendas por todo o Brasil.

Conheça esta inovadora ferramenta, faça cotações gratuitamente de onde estiver para quantas empresas quiser 24 horas por dia, 7 dias por semana.

- Somos o maior e mais completo portal de negócios do mercado brasileiro com um software para cotações, inédito para o mercado do Plástico na América Latina.

- Sua empresa terá um mínimo de 15 páginas ao anunciar no Cadastro Patrocinado.

- Mostre detalhes de seus produtos/serviços como:

Logomarca, Nome, Telefone, Email, Site, Endereço, Localização, Texto Institucional, Fotos de produtos com descrições, tabelas e vídeos;

- Triplo sistema de busca com destaque para os Cadastros Patrocinados.

- 10 vezes mais informações que um cadastro gratuito no portal.

- Divulgação na web, feiras, eventos e através de parceiros em todo o Brasil 24 horas por dia, 7 dias por semana.

- Entre em contato conosco e conheça as formas de divulgação que atenderão suas necessidades.

Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Tel: (11) 3222-6283

Última atualização em Ter, 13 de Janeiro de 2015 10:13
 
Já conhece a Amplast? Associe-se !
Seg, 05 de Janeiro de 2015 15:41

divulgao

Última atualização em Ter, 13 de Janeiro de 2015 10:14
 
SELO DE PRODUTO BRASILEIRO
Sáb, 20 de Dezembro de 2014 14:45

Selo de produto brasileiro

Última atualização em Ter, 13 de Janeiro de 2015 10:15
 
Parceria Amplast com Escola LF
Sex, 12 de Setembro de 2014 16:57

amplf

Prezado associado, 

A  Amplast fechou um contrato com a Escolal LF para cursos referentes à nossa área de atuação, com descontos de 30%. Basta que a associada envie à LF uma carta indicando o funcionário e o curso de interesse.

Estes descontos poderão ser dados também para cursos in company (dentro da empresa).

Veja a lista de cursos e datas e fixe no quadro de avisos da sua empresa.

 

amplf

 

Maiores Informações:

(11) 4119 - 0047
(11) 3277 - 0553

Maiores informações
clique aqui!

Cursos para 2013
COM APOSTILAS INCLUSAS

• CAD: Modelamento 2D e 3D

• Analise Técnica do Processo de Extrusão

• Operador, Preparador e Analista Téc. (Sopro)

• Operador, Preparador e Analista Téc. (Injeção)

• Metrologia, Leitura e Interp. de Desenho Técnico

• Projetos de Moldes 3D

• Analista Técnico em Materiais Plásticos

Última atualização em Ter, 13 de Janeiro de 2015 10:17
 


XHTML Validation
CSS Validation